Lendo agora:

Após vinte anos de carreira, Fernanda Marx lança seu primeiro disco autoral

Fernanda Marx atua como cantora há 20 anos. Integra três grupos da Cia. Minaz: Coral Minaz, o Coral de Câmara e o Madrigal Minaz, como solista e coralista. Em 2010, participou da gravação do CD “Mosaico”, disco de músicas brasileiras inéditas, gravado por solistas do Madrigal Minaz. Em 2009, passou a integrar a banda “Missionários do Blues”, como solista e backing vocal, tendo participado da gravação do primeiro disco do grupo em 2011. No ano seguinte, deu início carreira solo com o show “Flor de Café”. Em 2014 lançou dois projetos “Use Dorival Caymmi e “Refazendo Gonzaguinha”, no SESC Ribeirão. No ano seguinte, estreou o show “Baile da Nega”.

Após tantas aventuras lançou em outubro de 2017 seu primeiro disco autoral “INNOVE” com  canções de Chic Hernandez, Evandro Navarro, Pedro Luís (Monobloco) e Moyseis Marques, Kiko Dinucci (Metá Metá), Lucas Oliveira e da própria Fernanda, com arranjos provocativos e ímpares, apresentando as mais interessantes misturas. O show tem direção artística, iluminação e figurino assinada por Gustavo Engrácia e fotografia de Claudio Frateschi.

Samba Jazz, Ijexá, Xote, Maracutu, Chacarera e o tradicional Samba são ritmos presentes nas canções, minuciosamente escolhidas e lapidadas, traduzindo em cada faixa as influências musicais da intérprete. “Como eu acredito que no sincretismo da arte, sempre acreditei que o meu primeiro disco tinha que trazer isso, essa mistura que resulta nessa sonoridade”, conta para o mulhernamusica.

Apesar das músicas não serem todas minhas, eu precisei estudar, buscar e encontrar composições que dialogassem com o que eu acredito.

Com sua voz grave e potente continua: “Eu precisava estar madura para um trabalho inédito, que traduzisse exatamente o que sou. Apesar das músicas não serem todas minhas, eu precisei estudar, buscar e encontrar composições que dialogassem com o que eu acredito. Queria que fosse um trabalho que tivesse a excelência como princípio, que tivesse coerência nele do começo ao fim e que me representasse. Que ao ouvir, as pessoas compreendessem que é a Fernanda Marx. Que é uma artista que acredita que a arte se renova, se mistura.”

Ouçam com atenção:

Compartilhe
Escrito por

Quando criou a SÊLA, Camila entendeu que duas artistas tinham mais força que uma. E que três artistas tinham ainda mais força que duas. Desde então sua carreira solo como cantora e compositora ganhou outra dimensão e por isso tem se preparado para lançar o novo disco como GALI, seu novo nome artístico. Como empresária acumulou funções de publicitária, jornalista, apresentadora, palestrante e articuladora. Criou o mulhernamusica.com.br para estimular o conteúdo feito por elas e está aberta a quantas outras funções forem necessárias para fazer mais por elas.

1 comentário

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados com *

Digite o que você deseja buscar