Lendo agora:

28° Forró da Lua Cheia ganha MINIDocs da SÊLA

Ainda é discrepante a participação das mulheres nos festivais brasileiros. Pensando em entregar o protagonismo àquelas que estão na resistência, a SÊLA produziu seu primeiro Minidoc colaborativo. O cenário foi o 28° Forró da Lua Cheia na cidade de Altinópolis e o resultado é o registro das mulheres que passaram pelo Festival, além de traçar um panorama geral das atrações e da militância que cada uma construiu na ocasião.

Assista em primeira mão no mulhernamusica:

Através das lentes da Camila Batista, sob direção de Mari Rosa e apresentação de Camila Garófalo, o primeiro minidocs produzido pela SÊLA, conta com a presença e depoimento de Baby do Brasil, Assuscena dAs Bahias e a Cozinha Mineira e Amanda Pacífico da banda Mulamba (PR). Com 8 minutos de duração, o vídeo também aborda as funções das mulheres nos bastidores da música. A ideia é, daqui pra frente, fazer o mesmo produto em outras Festivais espalhados pelo Brasil.

Para esta edição, a SÊLA levantou uma Tenda e uma proposta para fortalecer a mulher na música durante o Forró da Lua Cheia 2018. Através de rodas de conversa, workshops e pockets shows, a programação contemplou artistas locais bem como de outros Estados, funcionando como recorte do que está acontecendo na atual cena da música brasileira independente. Entre as atividades previstas tivemos o Workshop de Auto Gestão e Criatividade na Música com Camila Garófalo, Oficina de Escrita Poética com Ana Larrousse.

 

Marina Dagher e Gá Heblin na Tenda SÊLA

O público curtindo a TENDA SÊLA

Rodas de conversa também aconteceram, como a “Vinil é para mulher” por Joice e Mari da Tuff Grrls que também se apresentaram com uma selecta fina na tenda Sêla, e o debate “Políticas Públicas e Genocídio da população negra” com o coletivo As Pretas de Franca com Daniele Galvani do Nascimento, Lilian Greice e Eliara Alves. Os pockets shows de Gá Heblin, Juliana Mangolin e Marina Dagher (ambas da banda Srta Zirma) agitaram as tardes da Tenda SÊLA.

Além das mulheres citadas no minidocs da SÊLA, vale destacar a participação histórica de Aíla (que arriscou dizer ter sido seu melhor show do ano), das vocalistas da banda Abacaxepa (que fizeram uma apresentação visceral), da stage manager Beatriz Paiva Lino (que operou o som da banda Mulamba), da guitarrista Michele Cordeiro (que arrebentou em multiplas funções na banda do Emicida) e muitas outras que contribuíram para tornar o 28 Forro da Lua Cheia muito mais “embucetado”.  

Camila Garófalo apresenta

Compartilhe

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados com *

Digite o que você deseja buscar