Lendo agora:

“Observatório Chega!”: metendo a colher para conectar pessoas

“Observatório Chega!”: metendo a colher para conectar pessoas

Esse é um conteúdo oferecido pelo programa A Hora do Sabbat

51 edições da Hora do Sabbat, o programa da mulher arteira e fazedora, um espaço de resistência, expressão e visibilidade da mulher arteira e fazedora. Sete colunistas com muita maravilhosidade feminina, feminista, livre, natural, selvagem, simples assim. Mulheres falando de nós mesmo! Arteiras e fazedoras que cansaram de fazer aquilo que lhe dizem, mulheres que sonham e realizam.

No quadro Femenageada de semana falamos da história de Débora Diniz, a mulher que mais lutou e luta até hoje pela legalização do aborto no brasil. Sua causa é a autonomia da mulher sobre seu corpo, sua liberdade, seus direitos como ser humano. Diniz é antropóloga, ativista, ensaísta, documentarista, professora e muito mais. 

Jarid Arraes publicou em 2017 o livro Heroínas negras brasileiras em 15 cordéis e aqui na Hora do Sabbat estamos lendo um a um para tornar pública a história de tantas mulheres ocultadas de nossa história. Aqualtune foi uma princesa africana, estrategista de guerra, liderou um exército de 10 mil homens. No século XVII, quando seu povo perdeu a guerra, foi raptada e trazida para o brasil como escrava, reprodutora, afinal de contas, uma princesa e na cabeça dos colonizadores, uma boa parideira! Uma vida de estupro só motivou Aqualtune a ser uma mulher livre, quando ouviu falar sobre os quilombos planejou uma fuga para Palmares, durante uma de suas gravidez. Aqualtune foi avó de Zumbi, o grande líder do quilombo de palmares.

Outro dia alguém falou que as mulheres na música tem produzido uma sonoridade original enquanto os homens continuam reproduzindo referências e isso justifica a criação de mais uma coluna: Pitaco Musical Delas, que é um convite para compositoras se apresentarem e recomendarem suas composições Letícia Coelho.

Mensalmente temos a contribuição das jornalistas do Observatório chega, nessa edição com Bia Viana e Juliana Duarte trazem um conteúdo mais denso sobre relacionamento abusivo e suicídio num bate papo bem produtivo cheio de dados, entrevista.

As anarcofeministas do CAFI chegam com o quadro Insubmissas, esse mês, esse programa tá denso, tratando de assuntos que a sociedade de modo geral não quer abordar. setembro é o mês de prevenção do suicídio, da visibilidade bissexual e também da luta pela legalização do aborto e é sobre isso que elas vieram falar, bora ouvir.

Quando se pedem provas de amor, quanto vale seu amor? Essa semana No fio da história Camila Genaro narra para nós o conto Amo-te como sal. Um relacionamento abusivo nem sempre acontece apenas nas relações românticas, podem ser entre amigos, parentes. Amor não se mede, amor é valor!

Da lira se enganchou na necessidade de discutir o tema da legalização do aborto, Flora Miguel nos traz músicas que abordam o tema de maneira contundente e realista com Carne Doce e Luana Hansem. O dia 28 de setembro é dia de mobilização nacional pela descriminalização e legalização do aborto seguro!

Para encerrar essa sexta feira, esse mês de setembro, a gente volta com Alessandra Riccioppo partilhando mais saberes sobre a frequência natural, bora ancorar! A Hora é Agora é uma proposta nova dentro do programa para se reconectar com a vibração da frequência natural, sair dessa lógica opressora do calendário ocidental!

Para ouvir é fácil: radiosilva.org  – 6° 16h ao vivo, radiopagu.com.br – Sáb 21:30, almalondrina.com.br – 2° 18h, radiobloco.net – 3° 20h, radiobaixadasantista.com.br – 4ª 12h. Disponível também no portal mulhernamusica.com.br e no Spotify

Compartilhe

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados com *

Digite o que você deseja buscar