Lendo agora:

Hora do Sabbat opina sobre o Prêmio Profissionais da Música 2019

Hora do Sabbat opina sobre o Prêmio Profissionais da Música 2019

Esse edição foi dedicada a falar do Prêmio Profissionais da Música, destaque para o bloco musical que apresenta as mulheres que participaram e concorreram ao prêmio, muito conteúdo sobre as Deusas e estreia do quadro INADEQUADA  com Milena Bachir.

Nos dias 1, 2 e 3 de novembro, eu e Flora Miguel fomos pra brasília no prêmio profissionais da música, afinal de contas estamos concorrendo como finalistas na categoria convergência  melhor programa de rádio 2018. 

Foi uma disputa acirrada que contou com três fases de votações. a primeira os próprios indicados ao prêmio votavam entre si, na segunda fase, votação popular, foi uma ação forte convidando os ouvintes, amigos e família pra votar e finalmente, a análise de júri técnico, que segunda a organização do evento, analisou as atividades realizadas nos anos de 2017 e 2018. 

Muita gente competente, concorremos com o programa consolidado jazz masters, que aliás, são muito bacanas, mas a  gente queria ganhar, chegamos ao 4º lugar, afinal de contas, a hora do sabbat ainda é um grande bebê, concorremos com os programas:  Sons do Brasil,Curitiba dá Samba, Jazzmasters, Cultura Hip Hop e Clube do Violeiro.

Equidade de genero! A falta de destaque para mulheres, me incomodou um pouco, pareceu que a organização quis “dar um espacinho pra elas, mas nem tanto.” É preciso internalizar que os homens não são melhores que as mulheres, que não estamos operando na perspectiva combativa, o fio do raciocínio feminino se conecta muito mais em criar espaços comuns, em troca genuína. 

É esquizofrênico e dicotômico ser mulher na sociedade que a gente conhece, pois nos é exigido ser extremamente femininas mas para ser bem sucedida…seja mais macho!

Houveram algumas atividades na programação que era focadas em destacar a atuação das mulheres na música, mas é isso, falta um pouco de legitimidade, empatia e desconstrução para homens brancos hetero entenderem a equidade de gênero.

Por outro lado o prêmio foi um momento de reencontros e muita troca. Eu, Sarah Mascarenhas participei ao lado de Valéria Becker da rádio Graviola, do painel Nas Ondas do Streaming, um painel que podia ser muito interessante se mantivessem o foco no tema, mas Roberto Mello, representante da Abramus, enveredou para falar dos Direitos Autorais e seus inimigos…

A SÊLA estava no evento, e Camila Garófalo idealizadora dessa rede maravilhosa foi como finalista em 5 categorias, ganhou o prêmio do voto popular e participou do painel Produção: substantivo feminino. O melhor painel na minha opinião, foi um momento das mulheres se colocarem mesmo! Essa mesa deu o recado das manas, minas e monas sem papas na língua, parabéns Renata, Camila, Chris e Cibele.

Aconteceu ainda uma pequena amostra de atividades com foco na produção feminina. Dia 31 Rhaissa Bittar levou o seu Sarau das Mina Tudo para o espaço criolina, painel com tema: Mulheres que criam com participação das incríveis Rhaissa Bittar, Delia Fischer, Magda Pucci.
A era do podcast : “hoje o tempo voa, amor”  com Valéria Becker rádio graviola, que conduziu esse workshop. Mulheres em ação: Mawaca, 24 anos de carreira com  Magda Pucci e finalmente, O piano feminino brasileiro na Itália com Cristianne Neves.

Fora isso, tive o prazer de ir ao estúdio do programa Deguste Cultura apresentado pelo querido Mário Sartorello. encontrei o querido Ricardo Rodrigues da Lets Gig agência, o jornalista Fabiano Alcântara. Em breve vamos retransmitir no rio de janeiro! 

Fazia tempo que não tinha estreia aqui, né?! O primeiro semestre trouxe uma leva de poderosas! Hoje não será diferente! Chega pra somar na Hora do Sabbat, Milena Bachir, uma mulher que chegou na minha vida há 4 anos mais ou menos e fez minha mente se abrir! 

Mentora de mulheres e negócios, Master coach, Professora universitária, desenvolve  projetos em diversas áreas focada no autodesenvolvimento de pessoas. No fim do ano passado eu procurei essa deusa para me orientar na organização estratégica do programa, um processo longo de mentoria que tem sido a manutenção dessa amplitude de conhecimento que ela já havia me causado. Atualmente a Milena tá lançando um projeto novo, de feminismo popular que se chama Inadequada

Inadequada é uma rede de educação para mulheres empoderadas. que atua através de 4 pilares: autoconhecimento, relacionamentos, estilo de vida e trabalho. criando espaços de de conversa e conexão de mulheres e homens sobre o “ser mulher”, com cursos, ciclos de conversas, mentorias, vivências. 

Então toda segunda sexta feira do mês, Milena Bachir nos brindará com sua sabedoria e provocação entorno do comportamento da mulher, aplicando o feminismo de maneira prática e de compreensão clara! bora lá, porque eu sou inadequada!

Marina Machado no mês de novembro fala da primeira mulher, a que foi banida do paraíso por questionar a equidade de gênero. Lilith essa deusa que conhecida por ser das sombras. 

Flora Miguel traz no boletim semanal Da Lira, uma orixá através da música. Oxum a mãe das águas doces, uma deusa que tem a energia acolhedora e maternal, parceira de xangô o pai da justiça. 

A Hora é agora, produzida por Alessandra Ricciopo, nos traz um momento contemplativo, de reflexão e meditação guiada sobre as ondas encantadas do calendário maia. Vivenciamos a décima onda encantada, do espelho branco magnético. Ela nos faz vibrar na energia do reflexo, como nos vemos diante do espelho? Pedimos ao espelho que, quando reflita nossa imagem em sua linda lua, nos devolva o que somos, nos mostre a verdade, a realidade do momento. Nada é mais significativo do que uma boa imagem que diz tudo sobre cada um de nós. Podemos mentir para o espelho? Por que faríamos isso? Realmente acreditamos que o enganamos? Não é a pessoa que estamos tentando mentir de alguma maneira?

Compartilhe

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados com *

Digite o que você deseja buscar