Lendo agora:

Claudinha Alexandre, Thalma de Freitas e Lys Ventura contam a história da música negra em evento online

Claudinha Alexandre, Thalma de Freitas e Lys Ventura contam a história da música negra em evento online

“Sons de Diáspora” faz resgate cultural, social e histórico da música negra

Composto por um intenso ciclo de palestras e bate-papos o “Sons de Diáspora: Histórico Social da Música Negra no Brasil” acontece a partir do dia 1º de dezembro e tem programação aberta, com transmissão ao vivo e completamente gratuita, até o dia 10. Produzido por Mila Felix, ex-produtora do programa “Manos e Minas”, pesquisadora, especialista em marketing e curadora musical, o projeto traz representantes ativos de ritmos como o Samba, o Afoxé, o Rap, o Jazz, o Reggae, o Soul, o Sambalanço e o Samba-Rock. Nomes como da jornalista e apresentadora Claudinha Alexandre, da atriz e cantora de jazz Thalma de Freitas e da DJ Lys Ventura, irão compartilhar seus saberes práticos e teóricos. As atividades serão transmitidas no Facebook e Youtube do evento sempre, às 19h. A realização tem apoio do edital do Proac (Programa de incentivo à cultura da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo).

Voltado à sociólogos, educadores, pesquisadores, músicos, estudantes e todos os interessados em música negra de um modo geral, que tem interesse em resgatar seu valor cultural, social e histórico. O evento tem por objetivo promover a reflexão, fortalecimento, reafirmação e até mesmo a ressignificação da importância da música negra. Divididas em dois blocos, as dinâmicas acontecerão assim: no primeiro momento, com uma hora de duração, participantes farão um mergulho na origem, história do gênero, artistas expressivos envolvidos na cena, popularização, contexto e legado cultural do ritmo em destaque. 

Logo depois, uma conversa com os convidados discutirá pertencimento e representatividade, além de seus reflexos sociais e psicológicos no passado, presente e futuro. Abrindo os trabalhos, do dia 1/12, Tadeu Kaçula chega com o samba: um gênero musical brasileiro que se originou entre as comunidades afro-brasileiras urbanas do Rio de Janeiro no início do século XX. Os convidados desta rodada serão Claudinha Alexandre e Rogerinho Família.

Em seguida, o jazz, uma manifestação artístico-musical originária de comunidades de Nova Orleans, nos Estados Unidos, ganha espaço com William “Mumu” Silva. Para o bate-papo, somam Edson Ikê, Douglas Araujo e Thalma De Freitas. Já em 03/12, a história do reggae é abordada por Lys Ventura. Entram na conversa Tarcísio Selektah, Dodô da banda Filosofia Reggae e Erick King Poor. Vale ressaltar que o Reggae foi desenvolvido originalmente na Jamaica do fim da década de 1960. No Brasil, é um ritmo predominante no Maranhão. 

No encontro de 08/12, o “Afoxé, Do Terreiro Para A Rua” abre a roda sob os comandos do palestrante Fernando Alabê. Ele fala dos sons produzidos pelo conjunto instrumental e vocal de mesmo nome quando desfila no carnaval pelas ruas da Bahia, em forma de rancho ou cordão. Tanto o bloco como o ritmo estão intimamente ligados aos praticantes de candomblé, com raízes afro-brasileiras. Val Benvindo, Harry De Castro e Vânia Oliveira estarão presentes. 

Partindo para um dos cinco pilares fundamentais da cultura Hip Hop, Márcio Macedo aborda a força do discurso rítmico que surgiu no final do século XX, entre as comunidades afro-descendentes nos Estados Unidos: o rap. Esse será pautado no dia 09/12, ao lado de Jaqueline Santos, Oga Mendonça e Sharylaine. 

Por fim, Carlos Tico traz a combinação de elementos da música gospel afro-americana, Rhythm and Blues e Jazz. O Soul music ou apenas Soul – um gênero musical popular que se originou na comunidade afro-americana dos Estados Unidos nos anos 1950 e no início dos anos 1960 – fecha a programação. DJ Cláudio Costa, Ivisson Ferreira e Marcelo Pinheiro estarão no diálogo proposto após todas as aulas. 

“Acho importante destacar que essa é uma oportunidade que nós, da comunidade preta, temos de contar e aprender sobre as nossas próprias histórias, registrando e documentando nosso protagonismo dentro dessas e outras manifestações”, ressalta Mila Felix, idealizadora e produtora do Sons de Diáspora. 

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO:

Terça-feira (1), às 19h | Samba  
Palestrante: Tadeu Kaçula  
Convidados: Claudinha Alexandre e Rogerinho Família 

Quarta-feira (2), às 19h | Jazz
Palestrante: William “Mumu” Silva 
Convidados: Edson Ikê, Douglas Araujo e Thalma De Freitas

Quinta-feira (3), às 19h | Reggae 
Palestrante: Lys Ventura 
Convidados: Tarcísio Selektah, Dodô Filosofia e Erick King Poor

Terça-feira (8), às 19h | Afoxé, Do Terreiro Para A Rua
Palestrante: Fernando Alabê
Convidados: Val Benvindo, Harry De Castro e Vania Oliveira 

Quarta-feira (9), às 19h | RAP
Palestrante: Márcio Macedo
Convidados: Jaqueline Santos, Oga Mendonça e Sharylaine 

Quinta-feira (10), às 19h | Do Soul ao Samba Rock 
Palestrante: Carlos Tico
Convidados: Dj Cláudio Costa, Ivisson Ferreira e Marcelo Pinheiro

SERVIÇO

Sons de Diáspora”:Histórico Social da Música Negra no Brasil

  • Data: Terças, quartas e quintas, do dia 1º até 10/12
  • Horário: Sempre às 19h [duração diária aproximada: 3 horas]
  • Formato: Online
  • Canal: Transmissão ao vivo no Facebook e Youtube
  • Palestrantes: Tadeu Kaçula (Samba), William “Mumu” Silva (Jazz), Lys Ventura (Reggae), Fernando Alabê (Afoxé), Márcio Macedo (Rap) e Carlos Tico (Soul music)
  • Convidados especiais: Claudinha Alexandre, Rogerinho Família, Edson Ikê, Douglas Araujo, Thalma De Freitas, Tarcísio Selektah, Dodo Filosofia, Erick King Poor, Val Benvindo, Harry De Castro, Vania Oliveira, Jaqueline Santos, Oga Mendonça, Sharylaine, Dj Cláudio Costa, Ivisson Ferreira e Marcelo Pinheiro
  • Ingresso: Gratuito

Sobre Sons de Diáspora 
O Ciclo de Palestras “Sons de Diáspora: Histórico Social da Música Negra no Brasil” tem como objeto o estudo teórico e prático da cultura negra por meio de suas principais  manifestações musicais: o samba, os tambores do afoxé, o rap, o jazz, o reggae, soul, sambalanço e samba-rock. O conteúdo abordado tratará das vertentes musicais em questão traçando uma linha do tempo, desde a concepção em continente africano até suas adaptações e impacto social na contemporaneidade. Com carga horária de 15 horas, o conteúdo será dividido em seis palestras com duração de aproximadamente 3 horas cada uma. Os tópicos serão abordados no contexto histórico, social e artístico, destacando as influências e representatividades nas sociedades mais amplas no passado e na atualidade.
Instagram | Facebook | Youtube

Sobre Mila Felix
Camila Felix de Oliveira, na arte e nas mediações sociais, conhecida como Mila Felix é produtora cultural, pesquisadora de arte e cultura negra, especialista em marketing e curadora musical. Atua como consultora e curadora musical na agência de branding e publicidade 2id. Pesquisa e produz conteúdo sobre cultura e música negra para os canais de comunicação Per Raps, Quilombo Hip Hop e Milíssima. É CEO da rede de apoio e e-commerce “Da Pele Preta MarketPlace”, que auxilia e fomenta o empreendedorismo negro. Idealizadora do coletivo “Marcha Negra Nacional”, que promove eventos e articulações sociais em benefício da causa negra e equidade racial. Atuou como produtora de TV e curadora musical do programa “Manos e Minas” da TV Cultura durante as temporadas de 2017 e 2018. É graduada em Hotelaria e Produção de eventos pela Faculdade Senac, Pós Graduada em Marketing Digital pela Faculdade e Centro Tecnológico Impacta. Formada em Pesquisa e Tendência de mercado pela Escola Panamericana de Artes. Estudou Branding Musical na instituição de ensino Perestroika, além de ter estudado Gestão de Carreiras e Direitos Autorais na Música na Faculdade e Conservatório Musical Souza Lima.
Instagram

Compartilhe
Escrito por

Perfil da Redação do site mulhernamusica.com.br

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados com *

Digite o que você deseja buscar