Lendo agora:

Michelle Serra da agência Iyabá promove Quebrada Viva nas periferias de São Paulo

Michelle Serra da agência Iyabá promove Quebrada Viva nas periferias de São Paulo

Segundo dados do governo de São Paulo, no mês de janeiro já foram registrados 237 mil novos casos de COVID-19 no estado, sendo 16 mil a mais que no mês de dezembro. Em relação aos óbitos, foram 163 a mais que no mês passado, com ocupação de UTIs superior a 71%. Pensando nisso, articuladores culturais paulistas se unirem para a criação do “Quebrada Viva” – iniciativa da produtora Michelle Serra gestora da Supere Cultural, e dos artistas visuais, M.I.A, que é pixador e Diogo Terra, iluminador. No Aniversário de São Paulo, o Quebrada Viva levará para as periferias da cidade uma série de projeções em laser com frases de conscientização reforçando a importância de, dentro do possível, mantermos o distanciamento social. As projeções acontecerão de forma itinerante, iniciando na Zona Sul e encerrando na Zona Norte

A ação acontecerá nos bairros Jardim Peri, Damasceno, Paraisópolis e Jardim Colombo. As projeções trarão mensagens que fomentam amor, esperança, cuidado e afeto e que poderá ser acompanhada pela comunidade das janelas de suas casas. O Quebrada Viva é parte da programação cultural especialmente preparada pela Secretaria Municipal de Cultura para o aniversário de São Paulo, que celebra hoje seus 467 anos.

“O Quebrada Viva surge da vontade de expandir e descentralizar a Cultura na cidade de São Paulo. Num momento em que a Cultura está passando por um desmonte, e que sempre vemos grandes artistas se apresentando no centro, enquanto nas quebradas a arte e a cultura não chegam; eu e meus amigos M.I.A. e Diogo Terra decidimos nos unir para levar essas mensagens e numa linguagem que os nossos entendam. Embora eu resida na Casa Verde, tenho atuado como ativista social em comunidades na Zona Norte, e sabemos o quanto as informações não chegam nesses lugares”, relata a produtora cultural Michelle Serra.

Além da homenagem à cidade, a programação promove o respeito às vítimas do COVID19, assim como de todos os profissionais que estão na linha de frente no combate a pandemia, em especial os de saúde. Com o intuito de evitar aglomerações, a programação foi construída a partir de variadas intervenções pela cidade que desestimulam aglomerações. As projeções em laser do Quebrada Viva serão exibidas nas periferias entre nesta segunda-feira, 25, entre 18h e 23h.

SERVIÇO

Quebrada Viva
Projeções em laser com frases de conscientização ao isolamento e distanciamento social

  • Local: Jardim Peri, Damasceno, Paraisópolis e Jardim Colombo
  • Data: 25 de Janeiro – Aniversário de São Paulo
  • Horário: 18h às 23h
  • Itinerário completo: 

18h30: Jardim Colombo – Rua das Goaibeiras, 455 
20h00: Paraisópolis – Rua Silveira Sampaio 579, esquina com Herbert Spencer
21h30: Jardim Damasceno – Av. Hugo Ítalo Merigo, 1380
22h30: Jardim Peri – Alto Rua Oliveira Martins, 59

  • Produção: Supere Cultural e Binário

Sobre Quebrada Viva

Iniciativa criada por articuladores culturais paulistas como forma de conscientizar a população periférica sobre os cuidados com a pandemia e reforçar as medidas de isolamento e distanciamento social. Iniciativa da produtora cultural Michelle Serra, e dos artistas visuais, M.I.A, que é pixador e Diogo Terra, iluminador. No Aniversário de SP o Quebrada Viva levará para as periferias da cidade uma série de projeções em laser com frases de conscientização reforçando a importância de, dentro do possível, mantermos o distanciamento social. A ação acontecerá em periferias da Zona Norte e Zona Sul, sendo nos bairros: Jardim Peri, Damasceno, Paraisópolis e Jardim Colombo. As projeções trarão mensagens que fomentam amor, esperança, cuidado e afeto e que poderá ser acompanhada pela comunidade das janelas de suas casas. O Quebrada Viva é parte da programação cultural especialmente preparada pela Secretaria Municipal de Cultura para o aniversário de São Paulo, que celebra hoje seus 467 anos.

Sobre Michelle Serra

Michelle Serra é paulistana e mãe solo de Bernardo Serra. É uma das co-fundadoras da Agência Iyaba, uma comunidade com conteúdo criativo e de suporte para mulheres racializadas em suas demandas de conhecimento, fortalecimento de pensamentos e em seus desenvolvimentos sociais, pessoais e profissionais. Produtora cultural e participante ativa das reuniões do Conselho Orçamentário de Cultura de São Paulo, viu sua ambição pelo ativismo feminista e antirracista se fortalecer relacionado ao seu trabalho em prol da cultura na cidade. Michelle fez parte do desenvolvimento de carreiras e projetos artísticos focados na disseminação da arte e no acesso ao mercado cultural brasileiro, apoiando artistas como a Banda Black Rio, Grooveria, Rosa Luz e Brisa Flow, Joabe Reis, dentre outros. Na militância desde jovem, faz parte da liderança política local que executa projetos sociais que atendem diversas famílias através de chamados públicos de arrecadação de mantimentos para pessoas vulneráveis. Na última gestão municipal, foi parte fundamental do conselho gestor da casa de cultura da Brasilândia e, junto ao coletivo Maria Bonita, organizou o projeto Brincar, participando ativamente da demanda local por cultura e educação para crianças, além de prestar apoio às mulheres e mães da região.

Compartilhe
Escrito por

Perfil da Redação do site mulhernamusica.com.br

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados com *

Digite o que você deseja buscar