Lendo agora:

Regina Santos estreia REANCESTRALIZAR, coluna mensal sobre afrobrasilidade

Regina Santos estreia REANCESTRALIZAR, coluna mensal sobre afrobrasilidade

A pluralidade de vozes é uma das premissas da hora do Sabbat e na edição 25 da temporada 5, tem estreia nesta revista feminista radiofonica! Isso mesmo, mais uma poderosa deidade chega para partilhar seus saberes e olha, ela é historiadora, então, conhecimento é a bagagem de Regina Santos, que traz o podcast Reancestralizar é caminhar. Aperta o play e vem….

Quem é essa Deidade?

Essa mulher cheia de saberes é muito arteira e vem conversar sobre ancestralidade. Vai nos provocar com perguntas como: O que a reancestralizar? Atualmente falar de ancestralidade é TT no twitter, né? Mas você de fato sabe o que é este conceito? Por que as pessoas tem falado tanto sobre conhecer a própria história? Escute atentamente o episódio de estreia e siga compartilhando e conhecendo sobre tudo que veio antes da sua chegada a este mundo…

Olha só que mulher incrivel neste vídeo:

Por se tratar de um espaço de expressão e visibilidade, aqui a ente quer somar forças. O primeiro passo para isso foi cadenciar o programa. Após conhecer regina,  o programa segue com a leitura do livro Filha do fogo – 12 contos e amor e cura – escrito pela jornalista, poeta, Elizandra Souza.

Entre convergencias universais, astrais e energéticas, Regina, as coincidencias surgem! Ela se apresentou no evento de lançamento do livro de Elizandra. Hoje a leitura é:  “Muita trovoada é sinal de pouca chuva”.O conto aborda como a gente, às vezes, cai em armadilhas emocionais.

Mais arteiras da semana

Falar de comida, permacultura não se limita a falar apenas da terra e do preparo de refeições. O quadro COMIDA.ZIP oferece uma conversa com Lu Castelli. Essa mulher é uma das pioneiras na comercialização de orgânicos em São Carlos. Neste papo as manas Andreia Botelho e Mirian Niz reforçam a importância da comunidade no fortalecimento da agricultura local.

Quando a gente fala de ancestralidade, a gente olha pro passado e Natashia Moraes, compartilha mensalmente histórias de VIDAS PASSADAS, VIDAS ATUAIS. Um trabalho único de leitura de aura que se transforma em crônicas, contos para a Hora do Sabbat. Desta vez o convite é para relembrar o Rio de Janeiro, ano de 1962. A jovem de 17 anos Camila, cresceu em meio a ditadura. O cenário daquele período nebuloso estimulava o cada um por si e pernas pra que te quero.

E o programa se encerra com celebração, na coluna FEMENAGEADA DA SEMANA, Sarah Mascarenhas traz um livro novo para publicizar a história delas. Extraordinárias – mulheres que revolucionaram o Brasil, escrito por Duda Porto de Souza e Aryane Cararo que começa com a história de Madalena Caramuru. Ela foi a primeira mulher alfabetizada no Brasil do século XVI. Era filha de Moema, mulher indigena da etnia tupinambá Paraguaçu e do português Diogo Álvares.

Muito história e muita música

Na playlist dessa semana está repleta de lançamentos, mesmo!! Saca só, tem: Persie, Sarah, Tatiana Teixeira & Mariana Volker, Thally, Clara Castro e Laura Jannuzzi, Brisaflow, Tanerélle, Pabllo Vittar, Omara Portuondo, Mariana Froes, Camila Cabello E Lud Session com Gloria Groove.

Segue a gente no instagram @horadosabbat e confere tudo no linktr.ee/horadosabbat

Compartilhe
Escrito por

Jornalista, coordena o programa Hora do Sabbat e atua em diversos coletivos como Maria vai com as Outras, Radialivres, Frente Ampla pela cultura na baixada Santista, Frente pela legalização do aborto da baixada santista Arteira e Fazedoras. Faz parte do Conselho de cultua na cidade de Santos.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios são marcados com *

Digite o que você deseja buscar