Lendo agora:

No dia da Dignidade Menstrual ‘O Canto da Raça’ impulsiona campanha contra pobreza menstrual na Zona Norte de SP

No dia da Dignidade Menstrual ‘O Canto da Raça’ impulsiona campanha contra pobreza menstrual na Zona Norte de SP

Campanha, que se iniciou no dia 22 de maio durante a 14ª edição do evento, já arrecadou mais de 1200 absorventes 

Segundo dados do relatório Livre para Menstruar, elaborado pelo Girl Up, um movimento global para promoção de lideranças femininas, no Brasil, uma em cada quatro adolescentes não possui um absorvente durante o seu período menstrual. Esse dado demonstra a gravidade da pobreza menstrual no país, que ainda engatinha no que diz respeito a infraestrutura básica, oferta de recursos básicos de higiene, e principalmente, no saneamento básico para a população. Para alertar sobre a situação, foi sancionada a Lei nº 8.888, que institui o Dia da Dignidade Menstrual, a ser lembrado anualmente na data de hoje, 28 de maio. E com a proximidade da data, O Canto da Raça, tradicional roda de samba da Freguesia do Ó, na Zona Norte de São Paulo, lançou em sua 14ª edição, no dia 22 de maio, a campanha ‘Por todas!’, que busca dar visibilidade à causa da dignidade menstrual e promover doações de absorventes arrecadados no evento para ONG’s da região.  

A falta de acesso básico à higiene entre pessoas que menstruam é algo muito comum nas periferias das grandes cidades do Brasil. De acordo com dados da UNICEF, mais de 710 mil meninas vivem em locais sem acesso a um banheiro ou chuveiro. Além da privação de chuveiros em suas residências, o Instituto Trata Brasil ainda aponta que quatro milhões de meninas sofrem com pelo menos uma privação de higiene nas escolas. Isso inclui falta de absorvente, instalações básicas como banheiro e sabonete. E a situação só piorou com a chegada da pandemia, em que muitas pessoas acabaram ficando sem renda e a falta de produtos de higiene íntima passou a ser ainda mais frequente. Então, por esses e outros fatores, menstruar acaba se tornando um grande fardo para milhares de mulheres brasileiras, principalmente as que vivem em situação de rua, que estão em abrigos e aquelas que estão inseridas no sistema prisional. 

E foi justamente pensando no impacto que ações destinadas à causa podem gerar na comunidade, que o evento O Canto da Raça, idealizado pelo produtor cultural Fernando de Paula, resolveu criar uma campanha, que tem como objetivo principal arrecadar absorventes para doar a ONG’s da Freguesia do Ó, onde a onde a roda de samba acontece tradicionalmente todo último ou penúltimo domingo do mês. Na última edição da roda de samba, a entrada no evento dependeu da doação de um pacote de absorvente ou do pagamento de um ingresso no valor de R$ 10,00.  A campanha foi um sucesso e arrecadou um total de 1240 absorventes que serão direcionados a meninas e mulheres da região da Brasilândia, zona periférica da Zona Norte de São Paulo. Porém, a arrecadação não se limita aos eventos mensais, já que os interessados em somar força a campanha vão ter à disposição outros postos de doação, que serão divulgados em breve pelas redes sociais do evento.

Créditos: Leo Vitulli

“A insegurança em ficar com a roupa manchada e o medo de serem estigmatizadas por isso acaba afastando as meninas da escola, podendo fazê-las perder até 100% do ano letivo. Por isso se faz necessário a promoção de ações destinadas a essa causa. Enquanto nossos governantes não promovem políticas voltadas para a dignidade menstrual, é de suma importância que nós enquanto comunidade possamos promover ações que colaborem para a diminuição desses índices”, conta Marcela Dias, assistente social e moradora da Zona Norte de São Paulo.

Sobre O Canto da Raça

A Roda de Samba do Canto da Raça foi idealizada por Fernando de Paula. Sua primeira edição aconteceu em agosto de 2019. A roda de samba acontece religiosamente uma vez ao mês como uma forma de resistência, para manter vivos os bambas do samba e a chama acesa, homenageando grandes nomes do samba como Fundo de Quintal, Almir Guineto, Luiz Carlos da Vila, Roberto Ribeiro, Jovelina Pérola Negra, Leci Brandão entre outros grandes. O evento já recebeu grandes nomes do samba e da música popular brasileira, como Luciano Bom Cabelo, Fred Camacho e Toninho Geraes. 

Instagram | Facebook 
Sobre Fernando de Paula
Nascido e criado na Brasilândia, Zona Norte de São Paulo, produtor cultural e compositor, desde 2010 compôs mais de 15 sambas de enredo para as principais escolas de samba de São Paulo, sendo elas: Unidos do Peruche – (2011) Mocidade Alegre – (2012 e 2013) Império de Casa Verde – (2013) Pérola Negra – (2014) Soc. Rosas de Ouro – (2019) Foi bicampeão do carnaval paulistano com a Mocidade Alegre (2012 e 2013) Ganhador do Troféu Nota 10 – melhor samba enredo do carnaval de São Paulo (2012) do Jornal Diário de São Paulo Além de São Paulo, também é autor de obras em carnavais de Minas Gerais e Rio Grande do Sul.

Compartilhe
Digite o que você deseja buscar